sábado, 22 de abril de 2017

Refutando grave calúnia contra a Frente Integralista Brasileira e seu Presidente Nacional, o Companheiro Victor Emanuel Vilela Barbuy.

Sérgio de Vasconcellos

Nós, os Integralistas que militamos há muito tempo no Movimento, acabamos adquirindo uma certa insensibilidade às calúnias, mentiras, inverdades, ataques injustificados ao Integralismo. Os Integralistas mais jovens até mesmo estranham esse nosso comportamento e esperariam uma reação mais pronta e decisiva desmentindo os nossos opositores. De nossa parte, não tenho procuração para falar pelos velhos Companheiros, mas, acredito interpretar o sentimento geral dos mesmos, preferimos nos dedicar a difundir a Doutrina Integralista e a História do Movimento à luz da nossa perspectiva, evidentemente, deixando a refutação final e definitiva para quando estivermos no Poder da República...

Assim, certamente causará certa surpresa que, contrariando uma posição já assumida de não replicarmos aos batráquios que nos atacam, venhamos agora refutar uma acusação que envolve a FIB e o Companheiro Victor Emanuel, nosso Presidente Nacional. E que calúnia é esta, tão revoltante, que nos obrigou a vir dar-lhe cabal desmentido?

De uns tempos a esta parte têm sido difundido de forma solerte e covarde a seguinte afrontosa mentira: Que na Frente Integralista Brasileira era proibido falar em Gustavo Barroso e que tal determinação partira do próprio Presidente Nacional, o Companheiro Victor Emanuel Vilela Barbuy que, inclusive, ordenara que nada de autoria de Barroso ou sobre ele fosse publicado no Portal Oficial do Integralismo. Se esta tolice tivesse sido afirmada por comunistas, liberais, anarquistas, etc., nem nos molestaríamos em responder indivíduos sabidamente anti-Integralistas. Todavia, a fonte desta calúnia torpe é um ajuntamento de criaturas que se dizem Integralistas, não obstante jamais terem militado em nosso Movimento, e cujas organizações jamais portam o nosso nome e simbologia, preferindo macaquear movimentos estrangeiros. Ora, vindo de sujeitos que se dizem Integralistas, obviamente tal MENTIRA foi e é crida por Brasileiros mais ingênuos... não, deixemos os eufemismos de lado, é acreditada por Brasileiros BURROS, tão BURROS e INCAPAZES que não se dispuseram a dirigir-se aos membros conhecidos da FIB ou apenas acessar o nosso Portal e desenganar-se a respeito. Tais imbecis, não satisfeitos em crer no absurdo criado por anti-Integralistas que se fingem de Integralistas para esconder sua adesão a ideologias estrangeiras, o propalam, ecoam o coachar de nazistóides e fascistóides travestidos de Integralistas, cooperando na difusão de mais esta inverdade assacada contra o Sigma.

Como, entre os boçais que criaram esta história da carochinha e os repetidores inconscientes da mesma, talvez existam algumas pessoas que, apesar de sua limitação intelectual, possam estar sendo sinceras, isto é, realmente achando que colocamos o nosso Gustavo Barroso em uma espécie de ostracismo histórico e doutrinário, resolvi escrever este breve Artigo, onde espero que aprendam uma verdade muito simples: Integralismo se aprende com Integralistas e não com idiotas. Provarei nos parágrafos abaixo que Gustavo Barroso é presença viva em nosso Movimento.

Vou provar a minha afirmação da forma que é a mais palpável e que pode ser confirmada por todos os leitores por si próprios: O Portal Oficial do Integralismo e os Blogs Integralistas que o secundam.

Então, não existem textos de Gustavo Barroso no Portal da FIB?

Curioso, pois é no Portal que pode ser encontrado O Integralismo,  http://www.integralismo.org.br/?cont=33 , importantíssimo, e que ainda foi reproduzido em dois Blogs diferentes: http://oquartoimperio.blogspot.com.br/2013/12/o-integralismo.html  e http://integralismo.blogspot.com.br/2008/07/o-integralismo-gustavo-barroso-o.html

Será único? Não. Eis outro: http://www.integralismo.org.br/?cont=907&tx=7 , Revolução Interior, e que também pode ser lido no seguinte Blog: http://oquartoimperio.blogspot.com.br/2014/07/revolucao-interior.html


Não é suficiente? Então vejam o que é possível ler em ALGUNS dos muitos Blogs do Sigma:









Mas, como é possível? Não era proibida a divulgação de escritos de Gustavo Barroso? Encontramos tanto no Portal, quanto em Blogs Integralistas diversos, a transcrição de textos de sua Autoria. Companheiro Victor, você tem que botar ordem na casa. Ninguém está obedecendo o seu veto a Gustavo Barroso...

E sobre Gustavo Barroso? Pelo menos nesse quesito ninguém deve ter ousado desobedecer o Presidente Victor Emanuel, certo? Errado!

Gustavo Dodt Barroso, http://www.integralismo.org.br/?cont=873#.WPEPntQrKM8  , que foi transcrito deste “site”: www.biblio.com.br

Homenagem a Gustavo Barroso, do Deputado Federal Elimar Maximo Damasceno (PRONA): http://www.integralismo.org.br/?cont=54&ox=9



125 anos de Gustavo Barroso, de  Luiz Gonçalves Alonso Ferreira: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=255#.WPEDTtTyuM8

Gustavo Barroso, nazista?, de Victor Emanuel Vilela  Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=272#.WPECFdTyuM8






Gustavo Barroso, de Sérgio de Vasconcellos: http://integralismohistoriaedoutrina.blogspot.com.br/2010/07/gustavo-barroso.html  . Obs.: Os dois último trabalhados têm o mesmo título, mas, não o mesmo conteúdo.

Um monte de estudos sobre o Barroso no Portal e nos Blogs sigmáticos! Que acinte! O primeiro a não obedecer sua própria ordem de não mencionar Gustavo Barroso é o Presidente Nacional! O que é isso, Companheiro?

E será que Gustavo Barroso é citado em trabalhos recentes? Claro que não, afinal foi banido o seu nome do Movimento pelo Companheiro Victor Emanuel. Mais uma vez errado! Gustavo Barroso é citado a todo momento pelos Autores Integralistas contemporâneos. Vejamos.

84 Anos do Manifesto de Outubro, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=382#.WPQCVdTyuM8

120 Anos do Tratado de Amizade Brasil-Japão, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=366#.WPQC_tTyuM8

Pela Verdadeira Independência do Brasil, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=354#.WPQDcNTyuM8

O Estado Integral e a Economia, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=336#.WPQELtTyuM8

A Tradição, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=340#.WPQEf9TyuM8

Nota de esclarecimento ao Portal Yahoo, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=324#.WPQFEtQrKM8

82 Anos do Manifesto de Outubro, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=312#.WPQG4dQrKM8

Nota de esclarecimento aos Portais BBC Brasil, IG, Terra, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=266#.WPQHvNQrKM8

81 Anos do Manifesto de Outubro, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=247#.WPQIjdQrKM8

Espírito burguês e espírito nobre, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=227#.WPQJJ9QrKM8

Posição do Integralismo em face do racismo, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=219#.WPQJLtQrKM8

Educação: situação atual e a proposta Integralista, de Lucas Antonio Feitosa de Jesus: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=213#.WPQKCtQrKM8

Sobre o Dossiê “Nazismo no Brasil”, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=201#.WPQKEtQrKM8

O Integralismo, escola de nobreza espiritual, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=199#.WPQKFtQrKM8

80 Anos do Manifesto de Outubro, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=189#.WPQKL9QrKM8

Mensagem de Natal e Ano Novo, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=139#.WPQMJdQrKM8

79 Anos do Manifesto de Outubro, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=125#.WPQMwtQrKM8

Uma visão integral para a segurança pública, de Luiz Gonçalves Alonso Ferreira: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=61#.WPQNotQrKM8

O Integralismo e o Homem Integral, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=52#.WPQOz9QrKM8

Império de Mamon e Império Cristão, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=34#.WPQO5dQrKM8

Estado e Império, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=8#.WPQO_tQrKM8



O Integralismo foi o introdutor do antissemitismo no Brasil?, de Sérgio de Vasconcellos: http://integralismo.blogspot.com.br/2010/09/o-integralismo-foi-o-introdutor-do-anti.html


Catolicismo e Integralismo, de Sérgio de Vasconcellos: http://integralismo.blogspot.com.br/2010/01/catolicismo-e-integralismo.html

Brasil - Eterna Colônia de Banqueiros?, de Marcelo Silveira: http://integralismo.blogspot.com.br/2013/03/brasil-eterna-colonia-de-banqueiros.html

Em resposta a algumas bobagens que estão falando no meio monárquico sobre o Integralismo, de Victor Emanuel Vilela Barbuy: http://victoremanuelvilelabarbu.blogspot.com.br/2011/07/em-resposta-algumas-bobagens-que-andam.html



A Família Rothschild e a City of London, de Eduardo Ferraz: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=225#.WPQXS9QrKM8

Pelo visto, o primeiro a ignorar a determinação de proibir Barroso teria sido o próprio Companheiro Victor Emanuel Vilela Barbuy, o autor da proibição... Que mau exemplo, Companheiro. Que falta de disciplina. Se deu uma ordem, teria que ser o primeiro a cumpri-la e não descumpri-la, como ficou patente nas referências acima.

Os Companheiros que estejam me acompanhando até aqui saberão compreender a ironia.

Aos leitores inteligentes parecerá ocioso dizer que os mais de 50 títulos lincados não esgotam a presença virtual de Gustavo Barroso no Portal da FIB e nos Blogs Integralistas, sendo apenas uma pequena amostragem para demonstrar a estupidez da afirmação de que o Integralismo contemporâneo rejeita Barroso. Todavia, como a burrice cresce no Brasil de forma exponencial, eu vou asseverar redundantemente: Os mais de 50 títulos acima lincados - de autoria do próprio, sobre Barroso, e, ainda, mencionando-o ou referenciando-o – são uma pequena amostra da presença barrosiana em parte do meio virtual Integralista. Pequena parte não só porque não esgotam as publicações no Portal da FIB e nos Blogs Integralistas, como nem mesmo indicam as redes sociais, o wathsaap, o twitter, o Youtube, os fóruns, etc.

Se os fautores dessa acusação ridícula alguma vez tivessem comparecido em uma Reunião Integralista, em qualquer parte do Território Nacional, saberiam que Barroso é continuamente mencionado ou mesmo que textos de sua autoria são lidos. Se acompanhassem o movimento editorial Integralista recente saberiam que o Editor Integralista Gumercindo Rocha Dorea reeditou o A Verdade sobre o Integralismo, de autoria do Companheiro Jayme Ferreira da Silva, onde encontramos uma defesa inexpugnável às calúnias atiradas contra Barroso; que o mesmo Editor também reeditou o maravilhoso O Brasil na Lenda e na Cartografia Antiga, em que colocou à guisa de Prefácio o belo discurso de Plínio Salgado na Câmara Federal, elogiando Gustavo Barroso, quando este faleceu em 1959; saberiam que nos dois volumes de O Integralismo – um novo paradigma, Barroso é insistentemente citado e reconhecido como palavra autorizada; que no volumoso Existe um Pensamento Político Brasileiro? Existe, sim Raymundo Faoro: o Integralismo!, organizado e editado pelo já mencionado Companheiro Gumercindo Rocha Dorea, o nosso Gustavo Barroso é fartamente citado.

Não há porque prosseguir. Tudo o que deixamos escrito até aqui demonstra de forma irrespondível a falsidade da sórdida calúnia assacada contra a FIB, o Companheiro Victor Emanuel e o Sigma em geral. Os forjicadores de tal aleivosia só podem ser grandessíssimos canalhas, apátridas dos mais repulsivos, piores que os comunistas; e os que, uma vez lido este Artigo, teimarem em continuar difundindo esta pútrida calúnia, são asnos incompletos, pois falta-lhes apenas os rabos.

Peço desculpas aos verdadeiros Integralistas se os submeti a um vocabulário que não é normalmente o meu e nunca o é do Integralismo, mas, a indignação ditou a forma porque tracei tais linhas. Espero que me compreendam.

Pelo Bem do Brasil!

Anauê!


Nenhum comentário:

Postar um comentário